Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

quinta-feira, 25 de junho de 2009

SAUDADES E CANÇÕES PARA RAÍSA


Escutei na Antena Um um comentário que me desagradou. Achei-o de uma insensibilidade gritante, apesar de reconhecer que cada um tem direito à opinião. Referia-se... à degradação de Gorbachev, ao lançar um disco com melodias preferidas da sua mulher... (falecida a 20 de Setembro de 1999, vítima de leucemia). Degradante? Degradante, mesmo? Apetece-me ser sarcástica mas, para quê? Na realidade, o antigo Presidente soviético, Mikhail Gorbachev, editou recentemente um disco Canções para Raísa, dedicada à memória de Raísa Titarenko Gorbachev, onde interpretou (parece que bem) sete das suas baladas preferidas. O disco não será vendido ao público, aliás, foi posto à venda num leilão de beneficência em Londres (um só disco rendeu 119 mil euros). Após a morte da mulher o ex-Presidente russo tem-se dedicado à recolha de fundos para apoiar crianças com leucemia, na Fundação com o nome de Raísa.


O percurso deste político tem laivos de fado português. Vejamos: ele é - sem dúvida- uma das Grandes Personagens da História Contemporânea. Encantou e conquistou o Mundo mas não conseguiu agradar no seu país, apesar da esperança que distribuiu ao derrubar barreiras e mordaças. As palavras Glasnost (transparência) e Perestroika (reestruturação), fizeram manchetes em todos os Continentes e iniciaram o processo que terminaria com a Guerra Fria. Foi Prémio Nobel da Paz, em 1990. Foi um homem que o mundo admirou mas o seu país, não!


http://www.youtube.com/watch?v=qCVht4ZExv4

*

Somos todos estudantes e os nosso professores são a vida e o tempo
(M.Gorbachev)

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger Ana Claudia disse...

Oi MEB,

Uma lição de história para mim. Obrigada por me dar a conhecer uma visão melhor de um homem. Acho q tenho andado contagiada com a opinião do povo dele.

27 de junho de 2009 às 16:53  
Blogger MEB disse...

Ola Ana. Tudo bem por aí? Desejo que sim. Pois é, ele é mais um dos muitos incompreendidos numa imensa fila da vida...

29 de junho de 2009 às 18:55  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial