Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

segunda-feira, 23 de março de 2009

A SEDUTORA PRINCESA DOS BIJAGÓS



Cada tarde era sempre a mais quente de todas as tardes, pensava assim quando saía do quartel de Bolama, onde morava, e parava quase religiosamente junto a uma árvore linda, frente à porta de armas. Adoro árvores, vi imensas em muitos lados do mundo mas, aquela, continua a ser, ainda hoje, a minha árvore de Bolama. Creio que com flores rosadas. Apesar da ex-capital da Guiné (até 1941) ter dos melhores climas guineenses a princesa dos Bijagós (88 ilhas), classificada pela UNESCO como reserva da biosfera, não deixava de ser muito quente. E, derivado à humidade, a transpiração era constante. Mas, o que era isso comparado com a energia e entusiasmo que o seu exotismo nos transmitia? Que nos impelia ao pleno fascínio encantatório da vida!


Quantas não foram as vezes que passei, passeei e deambulei (1963) por esta rua de terra batida, vermelha, como romãs frescas apetecidas. Tantas! Tantos passos vagarosos, quase saboreados, nesses cair de tardes irrepetíveis que deixavam o céu como a mais caprichosa paleta de laranjas, azuis, violeta e luz brilhante por entre nuvens. O pôr-do-Sol da Guiné é único. Hoje, estou mais saudosa do que os outros ontens; apetece-me agarrar nas lembranças, activar a memória e conseguir sentir o pó entrar pelos sapatos frescos e abertos quando piso a terra batida que me leva ao pontão de madeira, frente à ilha de S.João. E, aí, a brisa declaradamente fresca e macia envolve-me e sussurra-me: bem-vinda, Maria...


http://www.youtube.com/watch?v=XmtqF-YjS6g


*

Do meu telescópio, eu via Deus caminhar! A maravilha, a harmonia e a organização do Universo só pode ter-se efectuado conforme o plano de um Ser Todo-Poderoso e Omnisciente
(Isaac Newton)

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger Ana Claudia disse...

Maria Elvira, bonito texto.
Um dia também vou sentir saudades assim...
Não voltou à Guiné? Não quer voltar em breve?

30 de março de 2009 às 23:51  
Blogger MEB disse...

Ana Claudia, em rigor: como é que eu posso voltar, se nunca cheguei a partir! Gratissima por passar por aqui. É óptimo.

31 de março de 2009 às 00:44  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial