Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

terça-feira, 12 de maio de 2009

FÁTIMA - UM DOS CORAÇÔES DA TERRA


Hoje, é a noite mais luminosa de todas as noites de Fátima. Por ser Maio, o mês de Maria. Por ser Maio, o mês do coração. Por ser Maio, o mês da Mãe. Por ser Maio, só por isso: por ser Maio, a noite onde as velas trémulas têm, no suceder das décadas, aguentado lágrimas perdidas, frios cortantes, chuvas fustigantes, calores abrasadores e brisas reconfortantes para as dores dilacerantes que podem tolher o corpo mas não beliscam a alma. Hoje, em Fátima, vive-se a noite mais brilhante de todas as noites onde, uma vez mais milhares e milhares de peregrinos vindos de todas as partes do mundo se colocam aos pés de Maria e lhe pedem, mesmo sem falar, ajuda. Ou lhe agradecem. Ou, simplesmente, anseiam sentir o toque da chama Divina que os deixe menos sós na imensidão dos seus Universos perdidos. Fátima, é o ponto de encontro de todos os quereres e de todos os credos.


Um dia, há muitos anos, o Dr. Perdigão, de Vila Nova de Ourém, contou-me como foi estar lá, na Cova da Iria, em 1919, em Outubro, quando o Sol girou perante três jovens pastorinhos, ajoelhados aos pés de Maria -apareceu um grande sinal no Céu: uma mulher revestida de Sol, tendo a Lua debaixo dos seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça» (Ap. 12, 1)- . Deliciava-me escutá-lo, falava calmamente sem excessos de qualquer espécie mas não escondia que aquele dia tinha sido diferente de todos os outros da sua longa existência. E, quando lhe perguntava (ansiosa) pelo rodopiar do Sol, lembra-me que ele me olhava com uma certa complacência e dizia: lamento, senti que havia qualquer coisa de muito diferente no ar mas dizer que vi o Sol girar, não vi. Não quer dizer que ele não o tivesse feito, eu é que talvez não merecesse ver a mensagem.


Hoje, em Fátima, tudo começa como se fosse o primeiro dia: a mesma fé, a mesma procura, as mesmas dores e as mesmas esperanças. O mesmo sofrimento do corpo e o maior bálsamo da alma. A mesma esperança, a mesma entrega, os mesmos anseios, a mesma união com os milhares de outros peregrinos que enchem solo sagrado. Não se tente explicar Fátima. Fátima, é um dos corações do Além que palpita na Terra.


http://www.youtube.com/watch?v=wlMxCjoCnSQ




...Os Anjos virão do céu e abençoarão a Terra nos tempos que virão...
(Maria, Mãe de Jesus)

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial