Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

domingo, 3 de janeiro de 2010

A DAMA DO LAGO REPOUSARÁ, UM DIA, EM WESTMINSTER?


Sobre a Família Real Britânica por bons, maus, ou até mesmo inexistentes motivos (alguns são impublicáveis), nunca faltaram manchetes nos jornais do mundo inteiro. O período Diana de Gales- a eterna Princesa do Povo- foi, seguramente, o mais trepidante, fez mesmo tremer os fortíssimos alicerces de Buckingham Palace e agitou a formal monarquia de Isabel II. William Arthur Philip Louis, príncipe de Gales, é o filho mais velho (Henrique, é o irmão) de Carlos, e Diana. É o segundo na linha de sucessão ao trono britânico e de outros quinze países da Commonwealth. Depois da tragédia ocorrida em Paris com sua mãe, os fotógrafos, por uns tempos, deram os jovens príncipes uma distância que os poupou a perseguições constantes. Mesmo assim, nunca deixaram de ser notícia: pelo ensino, pelas noivas, pelos êxitos, ou traquinices da juventude mas, também, pelo vincado lado solidário, herdade de Diana, que fazem questão de manter (recentemente, Guilherme, dormiu na rua como um sem-abrigo, numa gélida noite londrina).


Boatos nunca faltaram sobre os locatários de Buckingham Palace e Guilherme não escapa. Um deles está a ganhar forma já que de tão repetido começa a gerar dúvidas. Será Carlos ou Guilherme quem subirá ao Trono, sucedendo a Isabel II? Devia ser Carlos, mas o nome do filho começa a ser cada vez mais apontado como sucessor. E, aí, recordo uma espécie de lenda (não há ainda tempo para ser lenda...): Carlos (tal como Diana) nunca subirá ao Trono e, Guilherme, assim que for coroado fará transportar os restos mortais de sua mãe que dizem repousar em Althorp (Northamptonshire), numa ilha no meio de um lago, chamado de Roda Oval, para Abadia De Westminster. À luz do protocolo, é impossível; à luz da lenda, nada é improvável, já que muita água vai correr debaixo das pontes. Se a lenda não passar disso ou não chegar mesmo a ser isso, Camila, Duquesa da Cornualha, subirá, ao lado de Carlos, ao Trono como Princesa-Consorte. Se for Guilherme a subir ao Trono, provavelmente ao lado da plebeia Kate Middleton, talvez (sabe-se lá) se não cumprirá a lenda e levantará sua mãe, a Dama do Lago, do distanciamento a que foi votada. Distanciamento, não esquecimento. O futuro (não muito distante) dirá sobre a princesa a quem um dia perguntarem o porquê do divórcio e disse: éramos três num casamento. Estava demasiado cheio...



A modéstia é o único esplendor que se pode acrescentar à glória
(Charles Pinot Duclos)

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger Fernanda disse...

Amiga querida,

Não sabia se todos estes detalhes, confesso.
Por todas as razões e agora mais esta, oxalá seja Guilherme a subir ao trono e cumpra o prometido.

Beijinhos,

10 de janeiro de 2010 às 21:15  
Blogger MEB disse...


Tem tanto de impossível como de provável. Pertence a uma esfera que nós, não dominamos (eu, pelo menos). O futuro nos elucidará mas lá que gostava, amiga, garanto-lhe que sim. Ver Camila no Trono Inglês (eu sou portuguesa assumidissima)"virava-me" o estômago... Beijos

10 de janeiro de 2010 às 21:56  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial