Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

A PRESSÃO NATALÍCIA PODE CONDUZIR À DEPRESSÃO

Estamos a viver uma quadra festiva onde a felicidade parece vencer todas as realidades e existir em todas as casas, mas não é assim. É, igualmente, uma quadra onde sentimentos de perda, vazio, dificuldades, se acentuam perigosamente. Por isso, as pessoas que têm tendência para a depressão necessitam de ser acompanhadas, compreendidas e ajudadas. Leia este artigo de Mariagrazia Marini (psicóloga).


O Natal é um período considerado de alegria e esperanças optimistas. Normalmente é assim, mas para muitas pessoas pode ser uma época muito triste se se fizer acompanhar por sentimentos de solidão, desamparo e desânimo. Essa condição é chamada Depressão de Natal. A depressão das festas é comum no mês de Dezembro, durante o frenesim do Natal e Fim de Ano, ao fazermos balanços e projectos. O que para muita gente é a época mais feliz do ano para outros é bem ao contrário. O Natal e os encontros de família podem-se transformar em momentos tristes e difíceis de suportar especialmente se a pessoa já está deprimida ou a passar por uma crise existencial. O Natal é a época que mais afecta os depressivos (embora a depressão possa atacar em qualquer época do ano), é na época do Natal que a maioria dos suicídios acontece. Devemos, portanto, estar atentos a isso e especialmente aos idosos que necessitam de maior atenção. Há muitas causas para esse tipo de distúrbio do humor que pode evoluir para uma depressão verdadeira, com os mesmos sintomas da depressão clínica.


Geralmente a depressão de Natal é de duração breve, desde alguns dias a semanas e, em muitos casos, termina quando as férias acabam e se retorna à rotina quotidiana. É necessário tentar perceber, quais possam ser os motivos de cada um, os mais relacionados à esfera dos afectos bem como os estritamente físicos. Entretanto, podemos sugerir algumas regras básicas de saúde durante as festas. Factores que contribuem para a Depressão de Natal:


Aumento do stress •Fadiga •Expectativas não realizadas •Vulnerabilidade biológica à estação e à fraca irradiação solar •Dificuldade em estar com a família •Lembranças de celebrações passadas •Pressão social para o consumo excessivo •Mudança da dieta •Mudança da rotina quotidiana •Falta de alguém que está longe. Os sintomas mais comuns da Depressão de Natal são:•Dor de cabeça •Incapacidade de dormir ou dormir muito•Mudanças de apetite •Agitação ou ansiedade •Sentimento de culpa excessivo ou inapropriado•Diminuição da capacidade de concentração •Diminuição do interesse em actividades que normalmente dão prazer.


Como se deve defender da Depressão de Natal:•Minimizar as expectativas e transformar o Natal numa festividade normal.•Ter um programa organizado para esse período. •Não formular propósitos de mudanças totais para após o Ano Novo. •Praticar uma actividade física ao ar livre, mesmo se estiver frio, principalmente nas horas de luz. •Exercitar o pensamento positivo •Estar com pessoas. O que não deve fazer:•Não mudar muito os ritmos e particularmente os do sono •Não beber álcool em excesso •Não exagerar com a comida •Não ter expectativas irrealizáveis •Não focar no que não temos •Não lamentar o passado, mas fazer pequenos propósitos para o futuro realísticos e concretos.Concluindo: deixar de lado projectos extraordinários propor-se objectivos realísticos, organizar o próprio tempo, fazer listas, prioridades, fazer um plano e segui-lo. Sair da ritualidade muito “Litúrgica” das festas e procurar inventar novas maneiras para celebrar o Natal. É importante permitir a si próprio estar triste ou saudoso. Esses são sentimentos normais, particularmente na época de Natal. Boas festas!


http://www.youtube.com/watch?v=sMF8KZ5Woyw




O que é o Natal? É a ternura do passado, o valor do presente e a esperança do futuro. É o desejo mais sincero de que cada chávena se encha de bênçãos ricas e eternas, e de que cada caminho nos leve à paz
(Agnes M. Pharo)

4 Comentários:

Blogger Luis disse...

Minha Querida Amiga,
Pessoalmente vivo na Familia um caso que se enquadra no referido no seu post e por isso compreendo e concordo com o que nele está escrito.
É uma época que cria depressões e choques entre as pessoas que não aguentam o stress a que estão sujeitas. Há nelas uma sensação de isolamento e tristeza que se contrapõe à procura de reuniões de familia e de uma alegria ficticia que as leva a sentirem-se revoltadas e desajustadas ao período em causa! Há que se fazer um acompanhamento cuidado para que não se verifiquem desgraças!
Desejos de um Natal muito Feliz e um Ano de 2010 muito próspero para todos nós.

23 de dezembro de 2009 às 05:08  
Blogger MEB disse...

Meu Bom Amigo

Primeiro, Feliz Natal. Já estamos a 24 de Dezembro, a tal data no calendário e no coração dos homens que tem o peso de uma tradição que percorreu já dois mil anos de céu, lembrando a mensagem de Belém. É, como diz, uma quadra que pode ter os dois lados.

É uma ambivalência nem sempre fácil para aqueles que, por este ou aquele motivo, não conseguem, não podem ou não sabem viver essa tão falada alegria na sua plenitude.

O Amigo está bem, está no seio familiar que nesta noite é mais coesa do que nunca. É muito bom. Desejo-lhe, também, um Santo Natal e um excelente 2010. Obrigada por tanto apoio que me tem dado. Um abraço amigo

24 de dezembro de 2009 às 01:17  
Blogger Fernanda disse...

Minha querida amiga,

É verdade sim!
Lamentavelmente esse é um facto. Há muita gente só, que sofre especialmente nestes dias de uma solidão atroz.
Só conhecendo os casos podemos actuar individualmente, no geral é quase impossível.
Espero que todas essas pessoas consigam algum apoio por parte de vizinhos e de almas caridosas que tenham piedade e os chamem ao sue convívio.

Beijinhos e Bom Natal !

24 de dezembro de 2009 às 11:51  
Blogger MEB disse...

Boa Amiga
Também desejo que assim seja.A vida está cheia de solidões à nossa volta! Mas, estamos no tempo da esperança. Beijinhos

24 de dezembro de 2009 às 14:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial