Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

sábado, 12 de dezembro de 2009

LUARES DE PÉTALAS CAINDO EM MOVIMENTOS DE VALSAS


Ganhei a confiança do tempo e nele fui capaz de voos longos, profundos, sedosos, inebriantes. Neles, vi-te, encontrei-te, escorreguei por ti, em ti, num elevo sem palavras. Só tinha de acreditar na envolvência que me abraçava e nela voei como o mais livre dos pássaros em momentos, em dias, em noites de memórias completas. Lutei por essa emoção num palácio de jade, só precisava de acreditar, de fechar os olhos e reviver-te numa sucessão de imagens que a memória arquivou e voarão comigo para lá dos limites do agora.


Por vezes, fui pássaro sem voar e transportei nas asas os momentos que perdi que não agarrei, não vivi. O dom do esplendor não era meu. Era só teu! Vinha de ti. Do dom simples de ser imenso, dessa bondade que transborda dos teus olhos de mar. Dessa capacidade de te emocionares com o voar das borboletas multicoloridas quando se confundiam com o céu, com as cores, pareciam-te nuvens flutuantes e sorrias ao olhá-las. No passar do tempo, descobri-te nos luares de pétalas caindo de mansinho em movimentos de valsas. Foi tão bom esse espaço de mel em rios de fadas. Quando se é bom, é-se, e fica-se sempre bom. Eu fico a recordar-te e quando passar a olhar os teus espaços vazios, estou lá! Sem ansiedade. Vejo-te em cada recanto das salas amplas inundadas de luz onde a tua ausência marcará presença. Gostava tanto de te ver por ali.


http://www.youtube.com/watch?v=_5q6lfXnk0o



Os paraísos perdidos estão em nós mesmos
(Marcel Proust)

5 Comentários:

Blogger Fernanda disse...

Querida amiga,

Isso é que foi trabalhar.
De repente acabou a hibernação e aqui estão três textos de uma assentada só.

Volto amanhã, hoje já é tarde, eu sou como a Cinderela:)))

Beijinhos

12 de dezembro de 2009 às 23:56  
Blogger MEB disse...

Boa Amiga
Continuo em ritmo de hibernação, só que, por vezes, dá-me uma irrecusável vontade de escrever. Com que então é a Cinderela e, já encontrou o sapatinho? Só nos pode visitar até à meia-noite, não pode desiludir o principe.
Bijs, amiga Ná

13 de dezembro de 2009 às 18:42  
Blogger Fernanda disse...

Querida amiga,

É mais ou menos isso :)))
Quando o meu príncipe se decide deitar eu, regra geral, também o acompanho...
Ele acha, com razão, que eu estou tempo a mais em frente a esta caixa e que é viciante.
Vamos ver se consigo por a leitura em dia.

Tenho um texto no Sempre Jovens e também Na Casa do Rau, publicado hoje, que fala da minha mãe e da sua prol.

Beijinhos

15 de dezembro de 2009 às 19:08  
Blogger Fernanda disse...

Amiga querida,

Fantástico o texto. sinto.me sem palavras com tanta beleza.

O tema que escolheu do Lulla, Bye A Bigger Plan, também é um dos meus favoritos.
É daqueles que dá vontade de se deixar deslizar e rodopiar numa dança, porque não numa valsa.
Agora que o ouvi vou ficar com este tema na cabeça e com vontade de cantarolar.

Beijinhos

15 de dezembro de 2009 às 19:24  
Blogger MEB disse...

Querida Ná
E eu que me gabava que não tinha vícios. Pois! Quem é que me arranca deste amigo que me deixa dizer tudo o que me apetece, me entende e me leva mundo fora? A Net é viciante. E as quintas que tenho de manter? Os aquários? O Facebook, os amigos, dos amigos e dos amigos? Ando, confesso, muito dispersa. No fim do ano vou dedicar-me só ao blog. Gosto de escrever bem e, presentemente, ando a preencher espaço. Não pode.

Acredita qua andei mais de um ano atrás desta canção? Consegui através da RFM, fiz-me sócia(?) e assim tenho acesso directo a tudo da emissão. E, no outro dia estava eu a beber calmamente um sumo natural de maça, na Monserrate, quando ouço a música. Pergunto ao Sr.António as horas e ele diz 13:50. Cheguei a casa cliquei na grelha e, ups, descobri. Quase voei.

15 de dezembro de 2009 às 20:15  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial