Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

PRECISA-SE DE UM AMIGO QUE TENHA CORAÇÃO...


Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa de saber falar e calar; sobretudo, saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugadas, de pássaros, de Sol, da Lua, do canto dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os outros levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar. Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, o seu principal objectivo deve ser o de amigo.


Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar na relva. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive (Vinícius de Moraes).

*



Passamos metade da vida à espera daqueles que amamos e outra metade a deixar os que amamos
(Victor Hugo)

6 Comentários:

Blogger Fernanda disse...

Querida amiga,

Belíssima escolha de Venicius.

Todos náo precisamos de pelo menos um amigo assim.
Beijos

16 de dezembro de 2009 às 15:57  
Blogger MEB disse...


É a grande riqueza de uma vida: a amizade!

16 de dezembro de 2009 às 19:13  
Blogger Luis disse...

Minha Boa Amiga,
Vinicios é sempre alguém que nos toca fundo no coração. Neste texto mostra bem a solidão que se tem quando não temos pelo menos "um amigo"! A sua escolha revela, de certo modo, que vive "nas brumas de Sintra" um pouco isolada! O clima de Sintra e as suas brumas levam-nos a pensar assim mas não tem razão para pensar dessa forma pois tem um grupo de amigos que sem a conhecer pessoalmente vivem consigo os seus projectos, as suas dúvidas e os seus pensamentos! Isto é ser amigo de verdade e eu sinto que assim procedo consigo.
Não seja tão descrente e deixe entrar em si um sentimento de confiança que lhe encha a alma.
Saudações amigas.
Luís

20 de dezembro de 2009 às 00:29  
Blogger MEB disse...

Amigo Luís
Foi um comentário precioso meu amigo já que foi revelador da sua imensa humanidade que pulsa num coração de afectos e sensibilidade. Devo confessar que sou, por opção, uma pessoa solitária, sem me sentir só (desde que nasci e já lá vão 70). Sinto-me bem assim: esta é a minha praia, entende? Todavia, não estou fechada nem ao mundo nem às pessoas, mas onde eu reino é no meu mundo, no meu canto e nas minhas descobertas.

Escrever frequentemente exige além de imaginação, saber. E, embora reconheça que tenho alguma facilidade em fazê-lo, há alturas mais ou menos inspiradas. A presente não é, pelo frio.Inibe-me, hiberno. Preciso de Sol. Daí, escolher textos de autores consagrados que me ajudam a publicar posts que seja bons, que ensinem e envolvam.

Não sou nada, mas mesmo nada descrente e sou muito confiante. Por isso, amigo,do coração obrigada, por se lembrar de mim mas não estou perdida, como possa imaginar. Do meu jeito, estou muito bem e a presença fabulosa dos amigos do Sempre Jovem, deixa-me sensibilizada.

Nem tenho palavras para agradecer este seu comentário, confesso.É uma reacção de amigo. E, isso, agradeço de Alma, Coração e Ser.
Um abraço amigo

20 de dezembro de 2009 às 16:43  
Blogger Luis disse...

Minha Boa Amiga,
Adorei as suas palavras e acredite que nos Sempre jovens tem um grupo de amigos do coração. Vá lá e esteja conosco que nós por outro lado visitá-la-emos sempre que pudermos.
Um beijinho muito amigo e desejos de um Natal muito Feliz e que o próximo ano seja bem melhor do que este.

20 de dezembro de 2009 às 22:54  
Blogger MEB disse...

Bom Amigo
Agradeço e retribuo. Do coração. Um Santo Natal e um 2010 excelente.
Um abraço

20 de dezembro de 2009 às 23:09  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial