Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

GUERREIRO DO MEU MUNDO, SEDUTOR SEDUZIDO...


Há serenidade quando me lembro de ti como se fosses Romeu e eu Julieta, dos tempos modernos. Eu não esperava que subisses a escada para me levares contigo, nem sequer estava debruçada num qualquer parapeito. Tu é que estavas lá em cima, feito guerreiro do meu mundo, a olhar-me como se eu fosse espuma de mar a entrar mansamente na estrada da vida, olhando-me nos olhos, sob o efeito cintilante da luz da água reflectida nos imensos vidros, desenhando caprichosos movimentos explicitamente inspiradores. Sorria, quando te olhei e sei que sorrirei sempre quando te recordar lá, guerreiro do meu mundo, distante, deslumbrante, sedutor seduzido por uma pensadora que gosta de voar nas asas livres da imaginação.



Amo-te como a planta que não floriu e tem
dentro de si, escondida, a luz das flores,
e graças ao teu amor, vive obscuro em meu corpo
o denso aroma que subiu da terra.

Amo-te sem saber como, nem quando, nem onde,
amo-te directamente sem problemas nem orgulho:
amo-te assim porque não sei amar de outra maneira,

a não ser deste modo em que nem eu sou nem tu és,
tão perto que a tua mão no meu peito é minha,
tão perto que os teus olhos se fecham no meu sono.
(Pablo Neruda)

2 Comentários:

Blogger Fernanda disse...

Amiga MElvira,

Lindíssimo.
Tudo, o texto e o poema.
Deliciei-me com cada palavra, só Pablo Neruda!

Beijos

10 de janeiro de 2010 às 20:43  
Blogger MEB disse...


Este meu texto pertence aqueles que tem um canto especial no meu arquivo. Gostei de o ter escrito. Pablo Neruda é ele!Magistral.
Beijos

10 de janeiro de 2010 às 21:45  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial