Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

domingo, 12 de setembro de 2010

DIFÍCIL É MENTIR AO NOSSO CORAÇÃO


Falar é fácil quando tem as palavras em mente que expressem a sua opinião. Difícil é expressar por gestos e atitudes, o que realmente queremos dizer. Fácil é julgar pessoas que estão a ser expostas pelas circunstâncias. Difícil é encontrar e reflectir sobre os seus próprios erros. Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que ela deseja ouvir. Difícil é ser amiga para todas as horas e dizer a verdade quando for preciso. Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre a mesma. Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo a deixa irritada. Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente a conhece. Fácil é viver sem ter que se preocupar com o amanhã. Difícil é questionar e tentar melhorar as suas atitudes impulsivas e por vezes impetuosas, a cada dia que passa. Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar. Difícil é mentir ao nosso coração. Fácil é ver o que queremos ver. Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Fácil é ditar regras e, difícil é segui-las. (C.D.A.)
*



A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade
(Carlos Drummond de Andrade)

2 Comentários:

Anonymous Elisabete disse...

Descobri o seu blogue por acaso, li e reli algumas mensagens e, desde logo, o "guardei" como as coisas que não queremos perder...
Tenho-o consultado sem saber quando o vou fazer. Apenas para ler palavras como se as ouvisse.
Hoje tive que escrever como se respondesse...
...

COMO É DIFÍCIL MENTIR AO CORAÇÃO!

13 de setembro de 2010 às 13:59  
Blogger MEB disse...

Elisabete, que feliz acaso (não acredito em acasos!). A harmonia do Universo trouxe-a aqui, espero que continue a voltar e a gostar. Obrigada pelo apoio.

13 de setembro de 2010 às 19:56  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial