Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

terça-feira, 1 de abril de 2008

MOURINHO EM CHÃO DE MENINOS


Pois é! Foi precisamente hoje que o nosso internacional The Special One, José Mourinho (ex-treinador do Chelsea), que todos diziam ir comandar a equipa do Inter de Milão (já se dizia que levaria Lampard e Drogba, decidiu inesperadamente, apanhando todos de surpresa, assumir o destino de uma equipa (fundada em 1880) que até agora participava no Nacional da 3ª divisão, série E. Participava (disse bem), pois a partir do momento em que José Mourinho pisar o relvado viçoso do estádio Conde Sucena, em Chão de Meninos, a vida do clube vai sofrer uma reviravolta de 360º graus e, pelo menos, dentro de dois anos, A Sociedade União lº de Dezembro será o futuro Campeão de Portugal. Conquistará a Taça e, no campo internacional, deixará o mundo do futebol estupefacto, ao arrebatar todos os títulos em disputa.


Esta atitude que poderá no primeiro impacto ser considerada absurda ou caprichosa, tem o seu quê de previsível e de lógica. Vejamos: José Mourinho é o melhor treinador do mundo (foi eleito duas vezes), aprendeu desde adolescente, ao lado do pai (ex-guarda-redes), a entender o futebol por dentro e a assimilar tácticas. Tornou-se num perito nos movimentos dentro dos relvados. A sua trajectória no Benfica (onde esteve 9 jogos. Que falta que ele faz na Luz), no Leiria (deixa-o em 3º lugar) e no Porto os feitos foram tantos que dão vertigens: título de campeão, Taça de Portugal, Taça UEFA. No cinzento Chelsea, Mourinho leva o clube de Abramovich a campeão inglês (o que não acontecia há 50 anos) e conquista a Taça da Liga.


A trajectória de José Mourinho é conhecida de todos. Digamos, resumidamente, que a partir do momento em que se torna o braço direito do treinador inglês Bobby Robson a sua carreira começa a tomar forma e nunca mais pára até ao dia em que por mútuo acordo, a 20 de Setembro de 2007, rescindiu o contrato (por uma soma super aliciante) com o Chelsea. Ficou no defeso, no tempo para saborear a vida familiar. Ficou a estudar, a dar sorte ao Vitória de Setúbal, só por viver na cidade do Sado, as ondas positivas chegavam lá, ao balneário, estádio.


Famoso, poderoso e milionário, Mourinho ia para o Inter? Não! Não era entusiasmante. O Inter já é campeão, 3 vezes, que mais resta conquistar? Poderia mudar de táctica, a tradição do futebol italiano mas a emoção? Essa está no agarrar num clube que nunca ganhou nada e fazer dele campeão. Isso é que é de génio. Inter? Não! Foi manobra de diversão. Ele é assim! The Special One, optou por Chão de Meninos (Sintra). Passava-lhe pela cabeça?


4 Comentários:

Blogger Psiquiatra Angustiado disse...

O 1º de Dezembro é um clube mítico. E está para lá de mítico, é místico, como também as tostas se desejam. Eu até gostaria de ver o Mourinho treinar essa colectividade.

2 de abril de 2008 às 00:02  
Blogger MEB disse...

Essa das tostas místicas, confesso, não entendo. Mas, que seria um "su", Mourinho no 1º Dezembro, lá isso seria. Então é que Sintra virava louca...

3 de abril de 2008 às 00:14  
Blogger Psiquiatra Angustiado disse...

Nunca comeu(este) uma tosta mística? Fiambre, queijo, pão, e um pouco de misticismo, como de resto nos sugere a Vila de Sintra e o homem do sobretudo impecavelmente engomado que por lá se passeia.

3 de abril de 2008 às 00:24  
Blogger MEB disse...

Quando me envolvo no misticismo de Sintra, não sinto fome! O homem de sobretudo engomado (será Armani?), nunca vi! Tostas, com queijo, fiambre, manteiga e pão estilo folha de papel, não obrigada. Adoro, sim, as baguettes de frango da Monserrate. Chegam a ser pecado, de tão deliciosas.

3 de abril de 2008 às 17:56  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial