Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

quinta-feira, 14 de maio de 2009

DULCE PONTES - INSPIRADAMENTE DIVINA


Portugal continua com o péssimo hábito de ignorar filhos que, por este ou aquele motivo se destacam. Não o faz com todos mas, alguns (vá lá saber-se porquê) parece que são marcados com o símbolo do esquecimento. Lembro Dulce Pontes, uma artista notável, portuguesa, nascida no Montijo em 1969, que desde que se destacou, à sua custa, galgou fronteiras e as suas canções chegaram a filmes de Hollywood (Raiz do Mal com Richard Gere ou Afirma Pereira ). Os espectáculos que leva a todo o mundo galvanizam plateias. Canta ao lado dos maiores nomes, na foto com José Carreras, fê-lo com Andrea Bocelli e muitos outros. O maestro italiano Ennio Morricone, responsável por filmes como A Missão, Cinema Paraíso, Era Uma Vez no Oeste, não esconde como admira a voz, a sensibilidade e as interpretações de Dulce Pontes.


Para ela cria temas que vão pelo mundo aumentando a sua plateia vastíssima de admiradores. Em Portugal, se a quiser ouvir na Rádio, só se for nas locais. Na Antena Um, por exemplo, não passa. Nunca passa. E se passa, foi, certamente, por distracção. Em Portugal a música portuguesa é substituída por vozes e sonoridades de todos os lados menos do nosso! É uma vergonha. Reveladora, mas não deixa de ser uma vergonha que continua a prevalecer. Infelizmente. Nunca mais aprendemos a amar Portugal.


http://www.youtube.com/watch?v=KBYAYbQ-JI0



Não importa o tamanho da montanha, ela não pode tapar o Sol!
(provérbio chinês)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial