Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

segunda-feira, 3 de maio de 2010

TEM O HÁBITO DE GUARDAR RAIVAS E TRISTEZAS?


Desde que jogo na FarmVille nunca mais tive sossego. Reconheço. Mas enquanto dura, diverte. Passei a ter a minha caixa de mensagens esgotada (há dias em que recebo mais de 200 e-mails. Já nem tenho tempo para os ler (deve ter perto de 600 para colocar em dia). Hoje tirei este, achei-o curioso. Desenvolvi os tópicos, sem alterar a ideia. Não prometo quando mas, brevemente, vou dedicar-me totalmente ao blogue.


Tem o hábito de guardar (muitos) objectos inúteis, acreditando que um dia (sabe-se lá quando) vai necessitar deles? Tem o hábito de juntar (avidamente) dinheiro, sem gastá-lo, privando-se de tudo, pensando que poderá faltar-lhe no futuro? Tem o hábito de armazenar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos -recordações de toda a espécie, de todos os tempos-, e outras coisas que já não usa há muito tempo? É, mesmo capaz de ter! E, dentro de si? Tem o hábito de guardar raivas, ressentimentos, tristezas, medos e outros sentimentos negativos? Errado. Profundamente errado. Não faça mais isso! É uma atitude asfixiante que não a deixa evoluir em nenhum aspecto. Não prospera. É absolutamente necessário deixar um espaço, um vazio para que novas coisas cheguem à sua vida. É preciso que se desfaça do inútil que há em si e na sua casa para que a prosperidade aconteça. A força deste vazio é o que atrairá e absorverá o que deseja. Se acumular objectos e sentimentos velhos e inúteis não terá espaço para novas oportunidades. Os bens precisam de circular! Limpe as gavetas, os armários, a garagem, a mente. Dê o que já não usa. A atitude de guardar coisas inúteis só acorrenta a sua vida! Não são só os objectos guardados que paralisam a vida, é a atitude.


Quando sistematicamente se guarda, considera-se (fomenta-se) a possibilidade de falta, de carência. Acredita-se que amanhã poderá faltar e que não haverá maneira de suprir as necessidades. Sem se aperceber está a não acreditar em si nem na sua capacidade de vencer. Carimba-se a si própria com o rótulo de derrotada. Com este pensamento, está a enviar duas mensagens ao cérebro e à sua vida: a de que não confia no amanhã e de que o novo e melhor não são para si! Por isso sente-se bem guardando coisas velhas e inúteis, até mesmo as que não estão em perfeitas condições. Faça um esforço e mude de maneira de agir. Acredite em si e no futuro e dê a quem pode ajudar as coisas poeirentas (sem uso) que ocupam os seus armários e gavetas. Deixe o ar da renovação entrar na sua vida, nos seus pensamentos, no seu querer. E prepare-se para as mudanças que ocorrerão.










Mentes são como pára-quedas. Elas só funcionam quando são abertas
(James Dewar)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial