Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

domingo, 8 de agosto de 2010

PILATES - COMO TRABALHAR OS MÚSCULOS


Em dez sessões sentirá a diferença. Com vinte, conseguirá vê-la. Às trinta, terá um corpo novo. Esta citação (motivadora) pertence a Joseph Pilates, um alemão cuja vida é um filme. Desde doenças na infância a prisioneiro de guerra na idade adulta(Primeira Guerra), Pilates nunca desanimou. E foi no campo de prisioneiros que desenvolveu o método que o manteve saudável até ser libertado. Livre, manteve o propósito de aperfeiçoar o que tinha descoberto no cativeiro e do que tinha conseguido formar com pedaços de peças de mobília, cordas, camas (começava a tomar forma o Reformer, Cadillac, Chair), depressa concretizou os equipamentos que hoje se encontram espalhados em ginásios de todo o mundo. Este método que Pilates começou por dar a bailarinos e à força policial de Hamburgo, rapidamente conquistou pessoas de todas as áreas, de todas as idades (creio que a partir dos 12 anos) e ultrapassou fronteiras chamando para as suas fileiras políticos, executivos, bailarinos, desportistas, nomes famosos que enchiam os seus estúdios (tal como hoje).


Presentemente, deixou de ser uma prática de elites e tornou-se popular. Os ginásios enchem-se com praticantes de todos os quadrantes sociais, de todas as idades, de todas as profissões. Curiosamente o exército, em vários países, está a adoptar este método dos que desejam fortalecer o corpo sem ficar com músculos volumosos. O método alarga-os, fortalece-os, aumenta a mobilidade das articulações, melhora a circulação, trabalhando com três tipos de contracção: isométrica, concêntrica, excêntrica. As aulas colectivas são excelentes mas ter aulas (60 minutos) individuais com um instrutor é a garantia de que todos os exercícios são executados com a técnica precisa nos movimentos a executar. Se pertence ao grupo das que gostam de estar bem, sentir-se bem (corpo esguio e flexível), escolha um professor que lhe criará um conjunto de exercícios adequados ao seu caso específico e... inicie as aulas (o ideal é duas vezes por semana). Dê o primeiro passo e vai descobrir um mundo de coisas novas. Aprender a respirar (encher as omoplatas, colar o umbigo às costas) será o primeiro desafio. Os outros, não se irão fazer esperar.

*




Se um indivíduo tem 20 anos e está encolhido, é um velho. Porém, se tem 60 anos e tem flexibilidade e força, é um jovem
(Joseph Pilates)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial