Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ACABOU A TRAVESSIA DO DESERTO DA SELECÇÃO



O tabuleiro de xadrez está já arrumado. Já se fizeram as peregrinações solitárias. Já se choraram lágrimas e soltaram raivas. Já passou o tempo dos agradecimentos e das decepções. Tudo está à frente com um núcleo de jogadores que, pergunto, qual é a equipa que tem um conjunto assim? Só de ler os nomes provoca arrepio. Vamos abrir o coração, com sinceridade, e aceitemos frontalmente, com verdade, o treinador e a Selecção Nacional. Sejamos um País positivo que sabe dar as mãos aos nossos jogadores para estarmos na África do Sul. Somos ou não somos o 12º jogador? Vamos a isso.
*


Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe. como se tudo dependesse de você
(Cardeal Shellman)



2 Comentários:

Blogger Mourato disse...

Ora cá está um tema que me apraz muito.
Por muito simples que seja escrever sobre ele, torna-se complicado.
Eu aprendi desde muito novo a sentir a minha Pátria e a se for necessário dar a minha vida por ela (coisas da tropa). Faz-me alguma confusão existirem cada vez mais jogadores naturalizados que jogam na selecção, mas isto é a globalização e a concorrência (com a qual não concordo), mas como disse anteriormente o meu sentido patriota obriga-me a dizer:
FORÇA PORTUGAL!!!

1 de setembro de 2009 às 10:50  
Blogger MEB disse...

Um a um, fazemos uma multidão. E uma multidão a puxar para o mesmo lado, torna-se invencível...

1 de setembro de 2009 às 19:45  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial