Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

terça-feira, 11 de agosto de 2009

ALERTA VERMELHO AMEAÇA PORTUGAL


O mundo tem nos braços a ameaça de uma pandemia que em rigor ninguém sabe como se desenvolverá a partir do próximo Outono. Não se imagina nem a sua força nem as suas mutações e enquanto os outros países se mostram atentos, rigorosos e preocupados, Portugal manda às urtigas receios e cenários que podem paralisar o País, e dá-se ao luxo de ter uma Ministra da Saúde (até gosto dela) que sabendo de atitudes aberrantes que provam como os portugueses são bizarros (não era isto que queria dizer, mas não sei colocar bolinha vermelha no início do texto) que propositadamente contaminam outros com o vírus da Gripe A, de que são portadores, e se recusam a colocar a máscara quando necessário. A Ministra sabe, disse-o na Televisão, tal como afirmou que não faria denuncias.


Senhora Ministra, é cúmplice de um crime. É o mesmo que ter SIDA e praticar sexo sem protecção, assaltar com uma seringa infectada ou pactuar com criminosos. Pode ter atenuantes mas não deixa de ser cúmplice de mentalidades atrofiadas, perigosas, doentias, vergonhosas. Tem o dever de denunciar. Ainda há cidadãos conscientes neste País que merecem protecção. Lembre-se das crianças. Lembre-se que com gente assim o vírus vai atacar Portugal num sopro, deixando-o totalmente em alerta vermelho. E, aí, como nos poderá olhar de frente sem se sentir culpada?



Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos
(provérbio chinês)

2 Comentários:

Blogger Gui disse...

Infelizmente este é o povo que vota Sócrates. Só podia. E não digo mais nada para não ser demasiado contundente e ser mal interpretado. Mas sempre adianto que, sentir orgulho de ser português? Sinceramente não sinto. Antes pelo contrário.

14 de agosto de 2009 às 12:47  
Blogger MEB disse...

Gui, não concordo mas, a democracia é isto mesmo: a possibilidade de sentir e viver a Liberdade. Em tudo. E a liberdade de expressão está na linha da frente.

14 de agosto de 2009 às 21:27  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial