Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

sábado, 14 de novembro de 2009

... O QUE FIZER HOJE PODE FAZER A DIFERENÇA NO SEU AMANHÃ...



Era um jovem adolescente que para fazer face à vida e aos sonhos vendia mercearia, de porta em porta, no tempo em que as grandes superfícies ainda não eram uma realidade. Os dias era difíceis, particularmente aquele marcadamente vincado por uma ausência de compradores o que deixou no jovem Howard um certo desalento e uma acentuada fome. Procurou ajuda nos bolsos mas só encontrou uma pequena moeda. Olhou-a, guardou-a e decidiu que iria pedir comida na próxima casa. Assim fez. Tocou a campainha e, quando a porta se abriu e ele se deparou com uma jovem de olhar doce, não conseguiu pedir nada a não ser um copo de água. A jovem apercebeu-se que ele tinha fome e quando regressou na sua mão vinha um grande copo de leite.


Howard, olhou-o com satisfação e saboreou-o lentamente, sorrindo um pouco desajeitadamente à jovem que o olhava serenamente. Quanto lhe devo? perguntou. Não me deve nada, respondeu a jovem, a minha mãe ensinou-me a nunca aceitar pagamento por uma oferta caridosa. Howard, escutou-a e apenas balbuciou: agradeço-lhe de todo o coração. Quando a porta se fechou o jovem sentiu-se mais forte fisicamente e a sua fé em Deus e nos homens ficou mais forte numa altura em que estava quase a desistir de tudo, devido às sucessivas dificuldades. Anos depois essa jovem adoeceu gravemente e, devido à raridade da doença foi enviada para o hospital de uma grande cidade aos cuidados de um reputado especialista para estudar a rara doença. Chamaram o Dr. Howard Kelly


Quando anunciaram ao médico a chegada da doente, vinda de um pequeno lugar, ao ouvir o nome da localidade uma estranha luz invadiu-lhe o olhar. Vestiu a bata, colocou a máscara e foi ao encontro da paciente que reconheceu de imediato. Decidiu fazer tudo, o melhor, para salvar aquela vida. Foram meses de uma dedicação total e de uma luta desigual mas travada com sabedoria, fé e reconhecimento. Acabou por ganhar a batalha e a doente salvou-se. Na altura do hospital apresentar a conta o Dr. Kelly pediu que lha enviassem, para aprová-la. Conferiu-a e escreveu algo na factura pedindo que a entregassem à paciente. Quanto esta a recebeu, sentiu um grande aperto, sabia que teria de trabalhar toda a vida para conseguir pagar o que certamente a factura lhe iria apresentar. Quando ganhou coragem, abriu o envelope e encontrou as seguintes palavras: totalmente pago há muitos anos com um copo de leite. A assinatura era do Dr. Howard Kelly. Dos olhos da doente, recuperada, caíram lágrimas de alegria, e de uma imensa gratidão.

(Os tópicos desta história chegaram-me sem nome do autor, razão pela qual não o referencio. Desenvolvi alguns dados, sem contudo alterar os factos)




Tentar e falhar é, pelo menos, aprender. Não chegar a tentar é sofrer a inestimável perda do que poderia ter sido
(Geraldo Eustáquio)

3 Comentários:

Blogger Fernanda disse...

Minha querida amiga,

Já conhecia este belíssimo texto, mas adorei relê-lo.
Amor com amor se paga.

Bem haja por tê-lo publicado aqui. está é uma excelente licção de vida.

Beijinhos

17 de novembro de 2009 às 11:24  
Blogger Fernanda disse...

Querida M.Elvira,

O texto que eu já tinha lido é mesmo este, talvez não rigorosamente por estas palavras e ainda talvez em Inglês, de algum dos meus amigos Britânicos.
Tenho a certeza absoluta de que li esta história que aparentemente é baseada em factos reais.

Beijihos

18 de novembro de 2009 às 17:45  
Blogger MEB disse...

Amiga Fernanda

Boa noite. Tem toda a razão este texto, como lá refiro, não é meu. Todavia a sua mensagem, certamente por engano, vinha com o título do meu artigo: Senhor, Ensina-me a Viver, cujo texto é meu. Daí a minha confusão. Bijs

18 de novembro de 2009 às 18:20  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial