Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

sábado, 19 de julho de 2008

PARA CONSERTAR O MUNDO HÁ QUE CONSERTAR O HOMEM!


Um cientista, muito preocupado com os problemas do mundo, passava dias no seu laboratório, a tentar encontrar meios de os minorar. Certo dia, o filho de sete anos, invadiu o seu santuário decidido a ajudá-lo. O cientista, nervoso pela interrupção, tentou fazer com que o filho brincasse noutro lugar. Vendo que seria impossível demovê-lo, procurou algo que o pudesse distrair. De repente, deparou -se com o mapa do mundo. Estava ali o que procurava! Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita cola,entregou-o ao filho dizendo:


- Tu gostas de quebra-cabeças? Então vou-te dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo partido. Vê se consegues consertá-lo bem direitinho! Mas faz tudo sozinho! Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.


Todavia, passadas poucas horas, ouviu o filho chamando-o calmamente. A princípio, o pai não ligou, seria impossível na sua idade conseguir recompor um mapa que jamais havia visto. Relutante, o cientista levantou os olhos do que estava a fazer e decidiu ir ter com o filho, certo de que iria ver um trabalho digno de uma criança. Mas, para surpresa total, o mapa estava completamente refeito! Todos os pedaços tinham sido colocados nos devidos lugares. Como seria possível? Como é que tinha sido capaz?


-Tu não sabias como era o mundo, meu filho, como conseguiste?


-Pai, eu não sei como é o mundo, mas quando tirou o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que tinha consertado o mundo! -Autor desconhecido-



Nenhuma grande descoberta foi feita sem um palpite ousado.

[ Isaac Newton
]

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial