Brumas de Sintra

Ponto de encontro entre a fantasia e a realidade. Alinhar de pensamentos e evocação de factos que povoam a imaginação ou a memória. Divagações nos momentos calmos e silenciosos que ajudam à concentração, no balanço dos dias que se partilham através da janela que, entretanto, se abriu para a lonjura das grandes distâncias. Sem fronteiras, nem limites

A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal

O meu nome é Maria Elvira Bento. Gosto de olhar para o meu computador e reconhecer nele um excelente ouvinte. Simultaneamente, fidelíssimo, capaz de guardar o meu espólio e transportá-lo, seja para onde for, sempre que solicitado. http://brumasdesintra.blogspot.com e brumasdesintra.wordpress.com

quarta-feira, 30 de junho de 2010

O VOO DO DESENCANTO


Todas as verdades são de fácil compreensão quando descobertas; o problema é descobri-las
(Galileu Galilei)

terça-feira, 29 de junho de 2010

NASCESTE PARA VENCER


É natural que te apeteça chorar, mas se o soluço te sufocar a garganta endireita as costas, levanta o queixo e sorri frente ao que te considera humilhado. Humilhante é humilhar-se os humildes. É natural que te sintas só e te percas na imensidão da tua solidão mas se ela fizer eco na tua vida e te sentires desesperadamente só, abraça o ar que te rodeia, respira profundamente e lembra-te que a vida é um desafio a longo prazo. É um poema de heróis não de vencidos. Nasceste para vencer. É natural que morras lentamente quando te afogas na saudade e sintas o passado esvair-se pelos dedos como nuvens sopradas pelos ventos. É natural que te vires para trás, na ânsia de caminhar para o aquém do tempo, desejando recuperar sonhos e alvoradas. É natural que as lágrimas queiram deslizar dos teus olhos e os joelhos se dobrem ao peso dos passos parados de quem não sabe por onde caminhar. É possível que a indecisão te desespere e te sintas confusa nos dias, que odeies o mundo que te rodeia e que as pessoas te pareçam sombras esbatidas e fugidias. Só, desprezada, vazia, deambulas sem destino.


Há que iniciar a luta na selva da tua vida. Se te apetece chorar, ri. Se te apetecer quedar estática a um canto sem forças para reagir, levanta-te mesmo que não saibas como. Estática é que não. Os cemitérios é que estão povoados de estátuas adormecidas nos luares das noites frias. Não deixes os outros sentir a extensão da tua pobreza, não mostres a simplicidade dos teus trajes, nem ânsias secretas. Não mostres a tua sede, nem a tua fome, nem o teu abandono. Tu, na selva, para sobreviver, tens de mostrar força. Força dos fortes com dignidade e brilho no olhar. Se te apetecer chorar, ri! Se te apetecer fugir, fica! Se te apetecer acabar, vive! Se te apetecer comer, espalha as migalhas. Se os teus pés estiverem feridos das pedras dos caminhos, dança. Se estiveres desesperadamente só abre os braços ao Infinito. Olha em redor. Há algo vivo à tua espera! Nunca espalhes o teu sangue, a tua dor, o teu suor, a tua vida, sem luta. Na vida, sobrevivem os fortes. Se és fraca, terás de deixar de o ser. (M.E.B)




Todo o ser humano é Divino
(Maria Elvira Bento)

sábado, 26 de junho de 2010

A AUSÊNCIA DE CARINHO, DE ELOGIO, DE DIÁLOGO, AMEAÇA AS FAMÍLIAS



Conceituados terapeutas divulgaram uma recente pesquisa onde se evidencia que os membros das famílias estão cada vez mais frios, mais distantes. Escasseia o carinho, as qualidades não são valorizadas, só se ouvem críticas. As pessoas estão cada vez mais intolerantes, desgastam-se valorizando os defeitos dos outros. Muitas vezes por isso, os relacionamentos de hoje não duram. A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de classe média e alta. Os homens foram deixando de elogiar as suas mulheres ou vice-versa; não é frequente vermos chefes elogiando o trabalho dos seus subordinados, nem ver pais, filhos, amigos, elogiando-se mutuamente. Esta ausência de elogio tem afectado significativamente as famílias.


A falta de diálogo nos seus lares, o excesso de orgulho, impede que se diga o que sente e, por isso, frequentemente, levam essa carência para os consultórios. Acabam casamentos, nos quais as pessoas procuram nos outros o que não conseguem dentro de casa. Comecemos a valorizar as nossas famílias, amigos, alunos, subordinados. Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a ética, a beleza dos nossos parceiros ou parceiras, o comportamento dos nossos filhos. Vamos observar e ter em conta aquilo de que as pessoas gostam. O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser reconhecidos, o bom amigo quer sentir-se querido, a boa dona de casa valorizada. Vivemos numa sociedade em cada vez mais um de nós precisa do outro; é impossível alguém viver sozinho, e os elogios são uma motivação e um motor poderoso na vida de qualquer mortal. Quantas pessoas poderá fazer feliz hoje, elogiando-as? Comece agora! -Arthur Nogueira (Psicólogo)




Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade
(Georges Bernanos)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O TALENTO DE RONALDO CHEGA AO DESERTO



A alegria dos sete golos da Selecção Portuguesa frente à Coreia do Norte chegou ao mundo, tocou em todos. Na SIC, o correspondente no Médio Oriente falou, no deserto, com um beduíno que não só tinha vista o desafio como conhecia Ronaldo. Disse o seu nome, sorriu, e acrescentou: Ronaldo não joga futebol, ele dança no campo. É o melhor...



Nunca desistas da esperança. Nunca. A esperança é uma afirmação do teu desejo sublime. É o anuncio to seu sonho mais grandioso. A esperança é o pensamento tornado Divino
(Neale Donald Walsch)

A ESPERANÇA ILUMINA AMANHECERES


Se os sonhos não pudessem criar novos tempos, se a esperança não iluminasse cada amanhecer, se a cada novo dia não pudéssemos escrever uma nova história, a vida seria repleta de certezas. Mas, a vida é cheia de incertezas, e é isso que nos estimula a sonhar e a depositar as nossas esperanças no amanhã, sabendo que, o hoje, é uma fonte inesgotável de possibilidades de ser feliz. (autor desconhecido)





A vida não é medida pela quantidade de vezes que respiramos, mas pelos momentos que nos tiram a respiração.
(George Carlin)

sábado, 19 de junho de 2010

A MINHA ALMA TEM O PESO DO AMOR


A minha Alma tem o peso da chuva, o peso da lágrima, o peso do sorriso que brilhou e se apagou. Tem o peso da lágrima que nunca foi chorada, tem a leveza de todas as dores de que se libertaram. A minha Alma tem o peso da luz, o peso da esperança, o peso do Sol que ilumina. A minha Alma tem o peso da música, o peso de belas harmonias, o peso da palavra nunca dita, prestes (quem sabe) a ser dita. Tem o peso da lembrança, o peso de uma saudade, o peso de um olhar, o peso da ausência,
o peso da procura.A minha Alma tem o peso do amor, o peso da dor, o peso da alegria, o peso da tristeza. Tem o peso de quem caiu e se levantou, o peso de quem saltou e mergulhou, o peso de quem voou como borboleta livre. A minha Alma tem o peso de alguém que ama intensamente e só assim se libertou. Se me olhar de verdade verá a minha Alma e, quando a vir, saberá quem eu sou. Eu sou muitas porque cada dia é um dia e a minha Alma tem o peso de cada momento: o peso que lhe dá o meu pensamento. (A.C)




http://www.youtube.com/watch?v=so6ExplQlaY






...Hoje, sei que sem asas consigo voar mais alto do que jamais imaginei...
(Agnalda Carneiro)

sábado, 12 de junho de 2010

NÃO SEI EM QUE OCEANO NAVEGAS


Comprei, hoje, um búzio numa tenda de cortinas estampadas e transparentes, finas, que esvoaçavam ao sabor do vento manso numa tarde a lembrar pedaços de trópicos. Pelo colorido, pela maciez do Sol que aquecia, alegrava e iluminava. O búzio era lindo, encontrei-o só, olhando para mim, no meio de flores de lótus, de incensos, de pulseiras, colares e árvores da vida. Foi amor à primeira vista. Tiro e queda. Encanto e desejo, ali, rodeada de odores místicos e melodias bamboleantes que enchiam o espaço. Olhei-o fixamente e sorri para mim própria. Estendi a mão, toquei-lhe suavemente com um dedo que deixei deslizar pelo todo do búzio vindo não sei de que Oceano para se render no côncavo da palma da minha mão, amparado com ternura. Deslumbrada pela descoberta, na tenda de cheiros, de cores e de músicas exóticas, levei-o ao meu ouvido e o seu toque frio fez-me estremecer naquela tarde de Sol macio. E, aí, escutei a imensidão do mar que havia dentro dele. Escutei melhor e pareceu-me ouvir, lá longe, distante, um gemido, talvez saudade pelas águas que, um dia, deixou de onda em onda, de maré em maré, de corrente em corrente, afastando-se de casa que recordava na imensidão do som escondido no seu interior a lembrar-lhe o que ele não queria esquecer. Havia nele um pouco de mim: não sei em que Oceano navegas não me interessa, mas não te esqueço, embora não te queira lembrar.




A minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão
(Clarice Lispector)

terça-feira, 8 de junho de 2010

NANI - O NAVEGADOR AUSENTE


Não devia, mas a verdade é que a minha noite foi mal dormida, a pensar no impraticável campo de cricket que, placidamente, esperava pela Selecção Nacional, o Bidvest Wanderers Stadium, em Joanesburgo, pintado com 500 litros de tinta verde, buracos, desnivelado, relva seca, e o meu nervoso miudinho tornou-se insónia. E se algum dos jogadores se lesiona (sabia que iria ser chamado um jogador de Lisboa, sou assim....de fortes intuições)? Não aconteceu. Moçambique foi uma equipa cuidadosa nas entradas, eles estavam ali para ajudar Portugal e não para lesionar ninguém. Atitude a merecer aplausos pelo fair play constante. A lesão que viria a deixar um rasto de tristeza em todos os Navegadores já tinha acontecido com Nani, em Portugal (traumatismo na clavícula esquerda). O jogador do do Manchester United, o Navegador em melhor forma, regressa a Inglaterra para recuperação (jogará por Portugal, em Setembro, na selecção para o Europeu). Rúben Amorim (médio) jogador do Benfica, já a caminho da Mundial, vai ser o elo de ligação numa equipa que vai fazer história. Foi arrepiante ver aquele estádio pintado de vermelho e verde e se não fosse o barulho das incríveis vuvuzelas conseguiria ouvir-se o tambor dos 40 mil corações agitados tal era a alegria (quem foi emigrante sente isso) partilhada.



http://www.youtube.com/watch?v=zBUJztI884M





O futuro não pode ser previsto, mas pode ser inventado. É a nossa habilidade de inventar o futuro que nos dá esperança para fazer de nós o que somos
(Dennis Gabor)

segunda-feira, 7 de junho de 2010

NUNCA EXIGI A MAESTRIA DE GARDEL NEM A GENIALIDADE DE PIAZOLLA...


Não teria sido necessária tanta elegância, tanta sedução, tanto dramatismo, tanto arrebatamento. Bastaria a tua mão na minha cintura, enlaçando-me, conduzindo-me ao som de uma qualquer harmonia. Não te teria exigido uma linguagem de alma, numa intensa forma musical de estar na vida, como se vivêssemos intensos e sofridos amores ao ritmo acelerado de corações arrebatados. Não te pedi tanta energia, tanta paixão. Não te pedi -nunca- que dançasses comigo como se estivéssemos na Lua e a Terra girasse à nossa volta e, ambos, flutuássemos no Universo, transportados por uma intensa e provocante sensação onde o ódio se misturava com o amor, a elegância com a entrega, a sensualidade com o desejo, nos corpos flexíveis, colados, como se fossem apenas um. Nunca exigi a maestria de Gardel nem a genialidade de Piazzola. Nunca pedi asas nos pés e porte majestático, nem braços onde eu, voluptuosamente, deslizasse. Nem esperei murmúrios confidentes dizendo-me que... havia céus azuis, lindos, nos meus olhos..., enquanto rodopiávamos na elegância de passos largos e olhares profundos quando o meu corpo poderia parecia cair dos teus braços numa linguagem plástica intensa e expressiva. Na verdade, nunca pedi tanta sedução, tanta embriaguez, tanto garbo, tanta virilidade. Pedir, não pedi! Mas, gostava.




http://www.youtube.com/watch?v=dBHhSVJ_S6A





Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo.
(Liang Tzu)

sábado, 5 de junho de 2010

DESCUBRA O AMOR E FAÇA-O CONHECER O MUNDO


Pegue num sorriso e doe-o a quem jamais o teve. Pegue num raio de Sol e faça-o voar lá onde reina a noite. Pegue numa lágrima e ponha-a no rosto de quem jamais chorou. Pegue na coragem e ponha-a no ânimo de quem não sabe lutar. Descubra a vida e narre-a a quem não sabe entendê-la. Pegue na esperança e viva na sua luz. Pegue na bondade e doe-a a quem não sabe doar. Descubra o amor e faça-o conhecer o mundo. (M. G)





Orar não é pedir. Orar é a respiração da Alma...

(Mahatma Gandhi)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

VOEMOS EM EQUIPA. SEJAMOS GANSOS


Quando o tempo frio se anunciar quem estiver na rota de migração dos gansos poderá admirar como eles se movem no espaço em direcção a paragens mais quentes. Verificará que voam na forma de V. Saiba os motivos que os levam a manter essa atitude: ao voarem nessa formação o bando inteiro aumenta em 71% o alcance de voo, em relação a um pássaro que voe sozinho.

*Compartilhar da mesma direcção e sentido do grupo permite chegar mais rápido e facilmente ao destino, porque ajudando-nos uns aos outros os resultados são melhores.

Quando um ganso sai da formação, sente a resistência do ar e a dificuldade de voar sozinho. Então, rapidamente, retorna à formação para aproveitar o poder da elevação dos que estão à sua frente.

*Permanecendo em sintonia e unidos junto aqueles que se dirigem connosco na mesma direcção, o esforço será menor e será mais fácil e agradável alcançar a meta.
Estaremos dispostos a aceitar e oferecer ajuda.

Quando o ganso líder se cansa, muda para o final a formação, enquanto outro assume a dianteira.

*Compartilhar a liderança, respeitando-se mutuamente o tempo todo. Dividir os problemas e trabalhos mais difíceis. Reunir habilidades e capacidades. Combinar dons, talentos e recursos.

Os gansos, enquanto voam em formação, grasnam para dar coragem e alento para os que voam na frente, para que assim mantenham a velocidade.

*Quando há coragem e alento, o progresso é maior. Uma palavra de ânimo dita em tempo, motiva, ajuda, dá forças, produz o melhor dos benefícios.

Quando um ganso adoece, fica ferido ou está cansado e deve sair da formação, outros também o fazem e acompanham-no, para ajudá-lo e protegê-lo. Permanecem com ele até que morra, ou seja capaz de voar novamente e assim alcançar o bando ou integrar-se noutra formação.

*Estejamos unidos -lado a lado- apesar das diferenças, tanto nos momentos difíceis, como nas horas de trabalho. Se nos mantivermos ao lado do outro, ajudando, tornamos realidade o espírito de equipa. Se apesar das diferenças pudermos formar um grupo para enfrentar todos os tipos de situações, entenderemos o real valor da amizade. Se tivermos consciência do sentimento de partilha a vida será mais simples e o voo dos anos terá mais prazer. Sejamos gansos ! (autor desconhecido)


http://www.youtube.com/watch?v=gnJVgXL9Qcc





Este comportamento dos gansos levou gestores a tirar lições aplicáveis às empresas: liderança compartilhada, trabalho em equipa, disciplina, solidariedade, previsibilidade, motivação, objectivos comuns...
(Hélio T.)